Postagens

Buraco Negro - o fim trágico de grandes sois e outras aberraçoes, anãs brancas e negras

O magnífico filme “Interestelar”, grande sucesso de público, crítica e entre os cientistas, trouxe ao público diversos temas, como o aquecimento global (na minha juventude, dizíamos efeito estufa), buraco de minhoca, buraco negro e singularidade.

Um dos momentos mais marcantes aconteceu quando a nave espacial Endurance dirige-se ao planeta Miller, que está muito próximo de um buraco negro e, por isso, no planeta ocorre uma enorme dilatação gravitacional temporal, cada hora na superfície equivale a sete anos na Terra. Uma nave auxiliar é enviada e quando retornam para a Endurance, Cooper e Amelia descobrem que já se passara 23 anos.

Fiquei intrigado e julguei descobrir um erro do roteiro. A primeira vez que me dei conta que a gravidade provocava dilatação do tempo foi quando analisei as equações de um GPS, o sistema de posicionamento global. Nestas equações, a dilatação do tempo é dividida em duas partes, a primeira devido à velocidade do satélite (velha conhecida, usada em filmes como…

Nicolau Copérnico - Aproveitando o aniversário deste incrível cientista, vamos conhecer um pouco de sua grande obra o heliocentrismo

Todo mundo conhece Nicolau Copérnico e sua teoria que revolucionou o mundo... Literalmente, já que o mundo era tido como estático e Copérnico o propunha fazendo revoluções... E em torno do Sol. Isso todo mundo sabe. O que nem todos sabem é que Copérnico também era um padre, entre outras coisas.

Ele nasceu em 19 de fevereiro de 1473, na Polônia, e morreu em 24 de maio de 1543, ano em que foi publicada sua grande obra “De Revolutionibus Orbium Coelestium” (Da revolução de esferas celestes)

Cabe ressaltar que o livro foi publicado dois anos antes do Concílio de Trento. E o que isso tem a ver? Cientistas e teólogos afirmavam que a Terra era o centro do universo, imóvel, e que o sol, os planetas e as estrelas giravam em torno da Terra.

Isso porque interpretavam da Bíblia algumas passagens, como por exemplo: Deus fez o firmamento e separou as águas que estavam debaixo do firmamento daquelas que estavam por cima. E Deus chamou ao firmamento de Céus. E Deus fez os dois grandes luzeiros: o maio…

A Ciência de Einstein: algumas palavras sobre um gênio que enche muitos livros e como suas descobertas afetaram nossas vidas

Vivemos em um planeta pequeno e insignificante do sistema solar, que gira sobre si próprio (com duração de 24 horas e que define um dia) e circula um sol mediano (em 365 dias) localizado na periferia da Via-Láctea. O sol, por sua vez, move-se com as outras estrelas da galáxia. As galáxias influem nos movimentos umas das outras.

As estrelas que vemos no nosso céu são as mais próximas, apenas uma pequena fração da imensidão de nossa galáxia, formada por 400 bilhões de estrelas. A estrela que está mais perto de nós, do nosso sistema solar, é a chamada estrela Alfa da constelação do Centauro ou, simplesmente, Alfa-Centauro. Essa estrela está a uma distância de 4,5 anos-luz, ou seja, a luz que sai de nosso sol (a 300.000 Km/s) leva quatro anos e meio para chegar lá. A espaçonave que o homem já construiu e enviou ao espaço são as Voyager I e II, cuja velocidade é, aproximadamente 10.000 vezes mais lenta que a luz. Se enviássemos uma Voyager para Alfa-Centauro, a viagem demoraria mais de 40.…

Johannes Kepler - Lembra das leis de Kepler? Brahe havia dito que a órbita mais estranha era Marte. Kepler chegou a um círculo que batia com 10 observações, mas não com duas outras. Poderia ter ignorado, mas não fez isso.

Até poucos séculos atrás, a humanidade acreditava que a Terra fosse o centro do universo. Até que o astrônomo Johannes Kepler apresentou um modelo matemático que explicasse o movimento relativo dos planetas, conforme fora proposto por Copérnico.

Kepler nasceu na Alemanha em 27 de dezembro de 1571 (morreu em Ratisbona, 15 de novembro de 1630). Foi enviado ainda criança ao seminário protestante de Maulbroun para estudar e seguir carreira teológica. Era a época da Reforma e esse seminário era um preparatório para enfrentar a Igreja Católica.

Em 1.879, Kepler foi para a Universidade de Tübingen, que era um local de grande efervescência intelectual. Um professor o apresentou aos princípios de Copérnico. Kepler não se tornou um clérigo, mas, em 1594, tornou-se professor de matemática em uma escola em Graz, na Áustria. Não deu certo, não era um bom professor.

Em uma dessas aulas, fez uma descoberta que alteraria o futuro da astronomia. Ele observou que desenhando um triângulo isósceles em …

Galileu Galilei

Precisamos falar um pouco dos que fizeram a diferença na Ciência. E nada melhor que um dos mais lembrado, Galileu Galilei. Muito se tem falado sobre Galileu, até tornou-se um símbolo contra a censura, mas muita crença não está baseada em fatos, mas em suposições. E olha que Galileu manteve uma enorme troca de cartas com todo tipo de gente no mundo.

Nascido em Pisa, Itália, em 15 de fevereiro de 1564, desde criança era um observador dos fatos da natureza, movimento da água nos rios, de pedras atiradas ao céu etc. Apesar do pequeno lucro de sua loja de tecidos em Florença, seu pai, Vincenzo, sonhando com a recuperação do prestígio de sua família, enviou-o para a Universidade de Pisa estudar Medicina. Detestava!

O acaso colocou em suas mãos um livro de Euclides em uma tarde de domingo. Trancou-se em seus quarto e só saiu quando terminou o livro, ao anoitecer da quinta-feira. Resolveu tornar-se matemático. Sem o conhecimento do pai.

Um dia o pai apareceu. Contaram-lhe sobre os estranhos com…

Desertificação do Brasil: Há alguns anos, fui surpreendido por uma pesquisa que cientistas que ocupam, no INPE, um prédio vizinho ao meu, faziam, o Brasil terá um grande deserto

O supervulcão! Eles existem e é mais uma maneira de extinguir a humanidade. O que se pode fazer?

Os vulcões sempre assombraram a humanidade, porém agora os cientistas estão estudando algo muito mais assustador, os supervulcões, mil vezes maior e mais destrutivo. E, antes de ser um evento do passado, é um acontecimento comum, responsável por alterações no clima e extinções em massa.

Os vulcões formam-se pelo acúmulo de magma (rocha derretida) que irrompe para a superfície. A força do fenômeno dá a forma cônica. Há mais de mil vulcões em atividade no mundo e cerca de cinquenta entram em erupção todo ano

Já nos supervulcões, o magma não chega à superfície, fica acumulado em uma câmara magmática acumulando sua carga mortal por milhares de anos até explodir. O último supervulcão a explodir foi o Toba, na Sumatra, 74.000 anos atrás. O efeito no planeta foi devastador. Foi o primeiro a ser descoberto.

Porém algo foi descoberto, em 1965, no Parque de Yellowstone (o do Zé Colméia), o pesquisador Robert Christiansen observou no parque cinza compactada. Acreditava que o parque era um supervul…